Saltar para o conteúdo

Mudanças de estilo de vida 

A maioria das mudanças de estilo de vida centra-se em reduzir a pressão no estômago e dificultar a entrada de ácido no esófago. 

  • Fumar - parar de fumar é sempre uma boa ideia, aliviar os sintomas do refluxo é um incentivo adicional. 
  • Alimentos - alguns um diário de alimentos e bebidas para compreender os seus gatilhos. 
  • Álcool - mantenha o álcool no mínimo. 
  • Roupa - não use cintos apertados, cintas ou calças apertadas. 
  • Postura - evite sentar-se curvado ou inclinar-se para a frente por longos períodos. 
  • Hábitos alimentares - coma refeições mais pequenas e mais frequentes, coma mais cedo à noite (pelo menos três horas antes de dormir). 
  • Peso - tente perder peso se tiver excesso de peso ou procure manter o peso caso tenha um peso dentro do intervalo do Índice de Massa Corporal normal. 

Medicação

Existem quatro tipos de medicamentos usados na gestão dos sintomas do refluxo ácido: alginatos, antiácidos, antagonistas do recetor H2 da histamina e inibidores da bomba de protões (IBPs). 

Se a sua azia for leve e pouco frequente, adaptar o seu estilo de vida e tomar alginatos ou antiácidos é muitas vezes suficiente para gerir os sintomas associados ao refluxo. 

Se os seus sintomas forem mais graves ou mais frequentes, pode ser aconselhável considerar uma medicação que suprima ácidos. Procure o seu médico ou farmacêutico, que o poderão aconselhar sobre o melhor tratamento para si. 

Antiácidos e Alginatos 

Os antiácidos neutralizam o excesso de ácido no estômago e os alginatos formam uma barreira protetora sobre o conteúdo do estômago. 

Uma combinação de antiácido e alginato proporciona um alívio rápido e que dura até quatro horas. 

Medicação para suprimir ácidos 

Existem dois grupos de medicamentos que suprimem o ácido do estômago – inibidores da bomba de protões e antagonistas do recetor H2 da histamina. Ambos reduzem a quantidade de ácido produzida pelo estômago. Não começam a ter efeito tão rapidamente como os antiácidos ou alginatos, mas o seu efeito pode ser mais duradouro. 

Toda a informação apresentada neste artigo não se destina a diagnosticar ou prescrever. Leia sempre o rótulo. Se os sintomas forem graves ou prolongados, deve consultar um médico ou farmacêutico. Fale sempre com o seu médico ou farmacêutico antes de tomar qualquer medicamento. 

Referências 

1Referência: MASON, J & HUNGIN, A. P. A. (2005). Review article: gastro-oesophageal reflux disease – the health economic implications. Alimentary Pharmacology and Therapeautics, 22(s1), 20-31.

Artigo publicado January 1, 2021